Polenta com folha de batata doce

Folha de batata doce, pra mim, é das melhores folhas PANC dentre as que já provei. Ela é muito macia, saborosa mas suave, e lembra muito um tipo de espinafre europeu (Spinacia oleracea), muito diferente do nosso, que é de origem neozelandeza.

O potencial da folha de batata doce é enorme, já que o cultivo dela é tradicional. Em qualquer feira de produtor que se tenha batata doce, é muito possível pedir pra que eles tragam as folhas caso ainda não vendam. E claro, sempre dá pra cultivar batata doce em casa se você tem um vaso um pouco maior – existem cultivares que soltam mais folhas, por exemplo, se essa for a ideia.

A verdade é que dizer “folhas de batata doce” é muito impreciso, há um mundo de folhas diferentes pra provar. Cada tipo de batata doce possui uma folha diferente, e o gosto delas varia entre si. Por exemplo, a batata doce da casca roxa e miolo branco, essa mais comum que se encontra pra vender, tem as folhas de sabor levemente mentolado. Já uma espécie que fiquei conhecendo aqui no sudoeste do Paraná, que tem a casca branca e o miolo com um halo arroxeado, tem um sabor mais neutro e adocicado. Os tipos de batatas-doces são vários.

DSC_0563
Folhas de dois tipos diferentes de batata doce

O único cuidado ao se comer folhas de batata doce é fervê-las antes de refogar. Elas são ricas em oxalato, e a fervura ajuda a eliminá-lo. É bem semelhante às folhas de espinafre (as quais nem sempre temos esse cuidado, e as vezes vemos sendo servidas até mesmo cruas em restaurantes. E ninguém morre também por isso)

Essa receita de polenta servida com folha batata doce é uma forma bem interessante de valorizar essas folhas. É um prato vistoso, cara de almoço de domingo, que não precisa de mais nada pra satisfazer. O principal segredo é a forma de servir:

Polenta com folha de batata doce
Polenta caprichada, servida com folhas de batata doce sobre uma pedra

POLENTA COM FOLHA DE BATATA DOCE (para 4 pessoas)

1,7l de água
250g de fubá de milho
Sal

Molho:
1 cebola pequena
3 a 4 tomates médios
6 pedaços de funghi seco
Manjericão e queijo parmesão para finalizar

Folha de batata doce na borda de acompanhamento:
Alho
Folha de batata doce

 

  1. Primeiro comece levando ao fogo uma panela com a água salgada da polenta. Adicione o fubá de milho aos poucos devagar e sempre misturando, de preferência usando um fuet pra evitar que crie grumos. Faça isso antes que a água esquente;
  2. Quando começar a ferver, tenha em mente que nos primeiros 5 minutos a polenta espirra muito. Por isso, convém usar a tampa da panela pra se proteger. Lembre-se no entanto de deixar a tampa entreaberta;
  3. Quando a fase do espirro passar, abaixe o fogo, destampe totalmente e vá mexendo a cada 5 minutos aproximadamente. A polenta vai engrossar aos poucos. É normal ela grudar no fundo, não se desespere. Depois quando a polenta ficar pronta, você pode raspar esse grudadinho e se deliciar com uma casquinha de milho excepcional;
  4. A polenta deve ficar no fogo entre 40 e 45 minutos, até ficar espessa. O ideal é que ela depois de pronta espalhe, mas endureça rapidamente;
  5. Unte com azeite de oliva uma tábua de madeira, uma pedra ou algum outro recipiente plano que você use para servir. Derrame a polenta sobre ele, deixando que ela se espalhe naturalmente;

    _DSC0414
    A montagem do prato: A polenta deve ser despejada num recipiente untado e vai se espalhar naturalmente, abrindo um círculo
  6. Em seguida cubra a polenta por cima com o molho. Ele deve ter sido feito previamente: refogue as cebolas lentamente, em seguida acrescente o tomate picado em cubos e o funghi seco (esse último não é imprescindível, mas acrescenta muito sabor). Se estiver muito ácido, acerte com uma pitada de açúcar. Deixe encorpar, acerte o sal e desligue;
  7. Em cima do molho jogue folhas de manjericão e o queijo parmesão ralado na hora:
  8. À parte, faça as folhas de batata doce. Você pode usar os cabos que ligam cada uma das folhas à rama, eles são macios. Comece lavando bem cada uma delas;
  9. Em uma panela grande, ligue a água e espere ferver. Afervente as folhas por 1 minuto. Escorra e reserve;
  10. Em outra panela, refogue o alho e jogue as folhas inteiras. A aparência delas sem picar é rústica, e são interessantes na hora de comer pois ficam mais saborosas, enchem a boca;
  11. Disponha as folhas refogadas em volta da polenta e sirva cortando em pedaços, como se faria com um bolo, usando uma espátula.

2 respostas para “Polenta com folha de batata doce”

  1. Estou meio chocada por, mesmo adorando batata doce, nunca ter visto a folha dela. Aliás, não só nunca vi, como também nunca tinha PENSADO na existência da folha. Mesmo comprando em feiras, pra mim a planta toda era a batata e batata era a planta toda. É muito sabor que se perde por puro desconhecimento. Teu blog tem me ajudado demais a pensar além do usual em relação aos alimentos. Muito obrigada!

    Curtir

    1. Ei Renata!
      Eu acho que isso da gente não pensar da planta como um todo acontece muito. Nossa relação com a comida é toda muito alienada – o campo produz, a cidade consome, a ligação entre os dois é tão frágil. Essas surpresas também acontecem comigo. Um tempo atrás, eu vi um pé de batata salsa (a mandioquinha amarela) e fiquei espantada como ela realmente tinha folhas parecidas com a da salsa. Apesar do nome, nunca tinha me ocorrido aonde estava a semelhança entre as plantas, mas fazia tanto sentido!

      Que legal saber que tô conseguindo te aproximar um pouco mais dos alimentos de um jeito diferente do que a gente tem por aí mais comumente ❤ Um enorme abraço!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s