Magia natural com chá yogi

Uma lembrança pra gente se cuidar integralmente nesses tempos: preparar um chá yogi com atenção plena.

É um chá trazido por um mestre de Yoga Kundalini, de tradição ayurveda, que é restaurativo e digestivo, melhora a circulação e te mantém com energia e foco.

A primeira coisa é: faça o chá com intenção. Na hora de ligar o fogo pense em coisas agradáveis, coloque uma música que você gosta. Pode parecer bobagem, mas da mesma forma que quando nós pensamos coisas ruins tudo parece cinza, se concentrar na beleza desse momento ajuda a transformar esse chá num verdadeiro ritual.

Então comece colocando uma chaleira ou caneca com água pra aquecer no fogão.


Nessa chaleira aqui cabe 1,5l de água – mas vc pode fazer a quantidade que vc quiser. Eu recomendo fazer uma quantidade maior pq vc pode coar esse chá e deixar ele na geladeira – se quiser pode tomar gelado, ou pode voltar ele pro fogo, ele conserva muito bem os sabores. Pode ir tomando por 2 ou 3 dias.


Todos os ingredientes estão aqui com um propósito. 

A canela é quente – melhora a circulação sanguínea, eleva o espírito, ajuda a processar as coisas que colocamos pra dentro. Também ajuda a equilibrar o açúcar do sangue, e a lembrar de abraços quentinhos e comida com afeto.

Separe uns 3 pauzinhos de canela pra essa quantidade de água. Não use canela em pó. A canela em pau é um ingrediente mais adequado pra esse processo de decocção, além de manter as propriedades aromáticas mais intactas.

O segundo ingrediente é o cravo. O próprio cheiro já dá uma sensação de calor – é uma especiaria ótima pra aquecer o coração. Também é um bom antiinflamatório – e tem um cheiro muito intenso, que lembra tantas coisas boas – arroz doce, canjica, beijinho, quentão. 1 col de chá é o suficiente.

Talvez você nunca tenha pensado em usar pimenta do reino pra fazer um chá, mas vá por mim. Ele dá pouco sabor mas deixa as suas propriedades. Ajuda a melhorar a circulação, a digestão e atua sobre o sistema respiratório. De novo, use 1 col. de chá, ou algo como umas 15 bolinhas inteiras.

O cardamomo é uma especiaria um pouco menos conhecida, mas é da mesma família do gengibre e da cúrcuma. Ele é vendido nas vagens, mas o que tem aroma mesmo são as sementes dentro dela. Então é preciso abrir as vagens pra usar. Eu uso um pilão, mas você pode amassar com o cabo da faca sobre um pano de prato de quiser. 

Além de ter um aroma picante e fresco, o cardamomo é um ótimo apaziguador pra estômagos que sofrem com azia e queimação. Também é bom pra diminuir gases e te manter bem disposto. Meça 2 col de chá dos cardamomos com as vagem mesmo (algo como 20-25 vagens), e abra antes de colocar.

A última especiaria é o gengibre. Gengibre é uma especiaria que é ótima pra ter sempre na geladeira – ela dura muito se mantida bem sequinha e bem acondicionada. Tem o sabor picante, é estimulante, também melhora o processo digestivo.

Você pode usar com a casca mesmo, não tem problema. Umas 6 fatia finas de gengibre são suficientes, mas se você gosta de mais picancia ou é fã do sabor, pode pôr um pouco mais.


Aliás, isso vale pra todas as outras especiarias. Tome essas medidas como base mas teste, experimente, e faça como você sentir que precisa fazer.


Lembra daquela chaleira com 1,5l de água no fogo? Vamos colocar essas especiarias todas dentro dela. Deixe uns 3 minutinhos ali, e comece a sentir o aroma invadindo a sua casa. 


Um chá desses tem um efeito parecido com o de acender um incenso.

Quando você acende um incenso, você muda o ar em volta de você. É como se vc agitasse esse elemento, e trouxesse ele pra sua atenção.

Essas são as especiarias usadas e suas quantidades

Perfumar a sua casa com um chá de especiarias também é mudar de ares – e faz circular novas ideias.


Agora é vez do último ingrediente: chá preto. O chá preto é a base que a gente vai usar pra essa decocção. Ele é tonificante, e por conter cafeína também é estimulante e ajuda a manter a energia alta.

Eu uso chá a granel, 1 col. de sopa pra essa quantidade que tô fazendo (1,5l). Mas você pode também usar chá em saquinhos – uns 2 saquinhos são suficientes.


Depois de colocar o chá preto, tampe a chaleira, abaixe o fogo. Deixe assim por pelo menos 20 a 30 minutos. Lembre de apreciar de tempos em tempos o aroma.

Enquanto isso, você pode preparar um leite pra tomar com o seu chá – repare como é realmente um ritual.

Não é sem propósito também. O leite é pra amortecer todas essas especiarias que nós estamos fazendo uso, e que são muito intensas. E ele combina com tudo de um jeito muito surpreendente

Você pode usar leite de vaca se quiser, mas eu gosto e recomendo usar leites vegetais. Hoje eu fiz leite de amêndoas. 1 xícara de amêndoas de molho por 12h, que depois é escorrida e batida no liquidificador com 3 xícaras de água fresca.


Passe essa batida do liquidificador por um pano de algodão do tipo dos que se usa pra fazer pano de prato (tenha um pano só pra isso). Se você não tiver, você pode também usar uma peneira. Pode ser que pequenos resíduos passem, mas fica suficientemente bom.


Guarde os resíduos que ficarem no pano. São ótimos pra vc acrescentar à massa de um bolo, ou usar na massa do quibe pra dar liga (entre outras opções)

Não tem obrigatoriedade nenhuma de usar leite de amêndoas.

Um substituto delicioso e que também tem sabor amendoado é o leite de semente de melão, que eu já mostrei como é simples de fazer nesse post no instagram

Leite de coco também é uma ótima opção. Existe no mercado agora alguns leites de coco em pó, que são muito práticos e tem uma lista de ingredientes bem decentes (sem espessantes, conservantes, acidulantes e etcs). É uma outra possibilidade que combina bem.


Já se passaram 30 minutos? Bom, desligue o fogo e coe. Isso evita que os ingredientes oxidem na água, e o sabor permaneça inalterado. Depois de coado você pode deixar sobre o fogão ou armazenar na geladeira, como você preferir.

Sirva uma boa xícara, pingue um pouco de leite por cima (algo como umas 3 colheres de sopa, um pouquinho basta), e adoce com uma colher de mel ou de melado. Beba tranquilamente, tenha um momento agradável consigo mesmo.