Tempero PANC: erva baleeira ou “caldo de galinha”

As vezes você pode ter a impressão que PANC é só um amontoado de verduras diferentes, mas isso não é verdade. A erva baleeira é um exemplo muito interessante de uma PANC que é tempero.

Quando a gente esfrega a erva, o cheiro sobe instantaneamente e é bem forte. Lembra o curry que a gente compra por aí nas lojas de tempero. Eu encontro ela fresca pra vender na feira aqui onde moro no interior do Paraná com o nome de caldo de galinha, e é uma comparação razoável porque lembra um pouco também o cheiro dos cubos industrializados.

DSC_1111.JPG

Como você pode ver ela é uma plantinha simpática, e é nativa e brasileiríssima, parte do bioma da Mata Atlântica. As folhas são levemente ásperas, mas quando a cozinhamos rapidamente ficam macias. No topo dos ramos se forma um pendão com flores brancas, como dá pra se ver aí na foto. Essas flores depois se transforma em frutinhos vermelhos redondos graciosos, o que torna a erva baleeira facilmente numa erva ornamental. Ela é mais comum de se encontrar no litoral entre os estados de São Paulo e Santa Catarina. Porém, dá pra encontrar a erva baleeira seca em casas que vendem ervas e chás, ou em forma de óleo essencial, pois ela é comercializada com fins medicinais . Há pesquisa sendo desenvolvida na UNICAMP para também transformá-la em pomada pois já são reconhecidos os efeitos analgésicos e antiinflamatórios da ervinha.

Apesar de tanto se saber sobre a planta, sobre o uso dela na alimentação quase não se acha nada. E é uma pena, porque ela é segura e deliciosa!

Dá pra usar a erva seca que se vende pra chá assim como você usaria orégano seco. Nesse caso, é preciso prestar atenção antes de comprar se no pacotinho é vendido somente folhas ou se apresenta galhos. Os galhos, é claro, não são muito adequados para fins culinários. Outra opção é tentar encontrar ela à venda em viveiros de mudas. Por conta das propriedades medicinais reconhecidas, não é uma tarefa impossível encontrá-la.

É bom você saber que ela não perde o gosto durante o cozimento como outras ervas: muito pelo contrário. É interessante deixar no fogo um tempo para que ela solte o aroma. Meu uso favorito é acrescentar ela picadinha no feijão na hora de refogá-lo. Colocar no feijão é aquele tipo de uso bem cotidiano, que dá um sabor todo especial pra um prato (quase) diário. Pra quem quiser se aventurar num prato em que o sabor da erva baleeira tem um destaque especial, minha sugestão é fazer risoto de abóbora moranga, que ganha sempre um sabor adocicado, e acrescentar a erva baleeira em quantidade pra uma combinação imperdível.

E claro, se ainda existe tão pouco sendo falado de pratos temperados com ela, o negócio é testar o que nossa intuição mandar.

 

11 respostas para “Tempero PANC: erva baleeira ou “caldo de galinha””

  1. Adorei ter encontrado esse seu texto, estava procurando saber o nome dessa plantinha, conheci em visita ao Parque Estadual da Juréia, que fica em Peruíbe, litoral de SP. Me chamou muito a atenção pelo cheiro parecido com o curry, foi assim que cheguei ao seu blog, pesquisando por “planta cheiro de curry”, muito bom saber que é uma PANC e espero logo fazer algumas experiências com ela para ver como se sai na cozinha!

    1. Que divertido! Ainda é uma descoberta recente essa plantinha pra mim e eu continuo investigando. Por enquanto o feijão continua sendo o campeão de audiência rsrs Se fizer alguma descoberta, divide por aqui ❤

  2. Muito interessante, aqui na minha cidade não tem essa erva, tentei encontrar sementes a venda mais não encontrei nada tbem, alguém sabe onde posso encontrar sementes?

    1. Oi Leandro,
      Realmente, essa é uma dificuldade que a gente encontra no cultivo de plantas alimentares não-convencionais. Nem sempre estão à venda para consumo, e também temos dificuldades de conseguir mudas ou sementes. Muitas são plantas que a gente encontra em quintais e propriedades rurais somente porque as pessoas tem certa tradição de consumo, mas não chegam a comercializar por acharem que essas plantas não tem valor.

      O melhor conselho que eu posso te dar para encontrar sementes é: converse. Converse em feiras locais, especialmente aquelas onde você possa conversar com o produtor direto. Procure em feiras orgânicas também, que é um lugar onde as pessoas que comercializam já estão sensibilizadas sobre o valor de cultivares não-tradicionais. As vezes eles conhecem a planta, têm, só não sabem que outras pessoas estão interessadas e por isso não trazem. Pergunte também a conhecidos que moram em quintais, pergunte a amigos, muitos podem ter parentes que moram em casas ou em cidades menores. Eventualmente encontramos histórias sobre essas plantas e arrumamos mudas e sementes quando saímos conversando. É um trabalho de formiguinha, que também serve pra valorizar esse conhecimento e essas espécies, mas também é bastante interessante recolher essas histórias. Boa sorte por aí!

      1. Bom dia, sim muito obrigado, vou aguardar porque acho que no momento não tem. Tentei seguir os links para comprar mais acho que não deve ser época agora.

    2. Comprei duas mudas na cidade de Redentora, noroeste do RGS. Lá é conhecida como “caldo Knorr”, pois o cheiro é o mesmo.
      Ainda não testei, pois as mudas ainda são pequenas.

      1. Legal, que bom ter encontrado. Aqui só consegui desidratado, o cheiro é muito parecido mesmo com caldo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s