Guia prático de Agricultura Urbana

A separação que existe entre a cidade e o campo é uma das questões centrais pra gente entender a relação atual de distanciamento que temos com a comida. Pra mudar isso, é necessário trazer a produção de alimentos mais pra perto das cidades, que é onde a maioria da população mora. É com isso em mente que foi publicado pelo ministério do meio ambiente esse Guia de Agricultura Urbana. que pode ser baixando gratuitamente no link.

O alheamento causado pela distância da produção faz com que a gente entenda pouco da sazonalidade, do uso de venenos e transgênicos, e valorize e entenda pouco da realidade de quem trabalha nessa atividade tão essencial. A distância também é responsável pelo desperdício: no transporte e armazenagem pelo menos 1/3 do que é produzido acaba indo parar no lixo. Além disso, acaba sendo necessário mais pesticidas, ceras e outros artifícios químicos que fazem com que os vegetais mantenham sua aparência de frescos apesar dos muitos quilômetros necessários pra chegar até a gente.

guia agricultura urbana
Uma página do guia de agricultura urbana: ilustração, infográfico, muito caprichado

Por tudo isso, é muito interessante a gente poder se aproximar um pouco mais o universo da agricultura nas cidades. Essa proximidade faz com que a gente entenda mais da produção, valorize mais os espaços comuns disponíveis que temos nas cidades e até incentiva que a gente desenvolva habilidades interpessoais e de convivência, pois dificilmente dá pra cuidar de uma horta sozinho.

A iniciativa da Fundição Progresso em parceria com o ministério do Meio Ambiente de lançar gratuitamente um Guia de Agricultura Urbana é muito bem-vinda. Além de detalhar melhor esses argumentos da importância de se conectar a produção de alimentos ao lugar onde as pessoas estão, a cartilha também dá dicas práticas de cultivo como adubação, compostagem, como ler plantas bioindicadoras do solo, entre outros. Tem até uma sessão apresentando Plantas Alimentícias Não Convencionais (as PANCs). E também ele super apresentável, bonito e bem ilustrado.

O site da cartilha também tem uma pequena biblioteca com várias outros livros do assunto que podem ser baixados de graça. Tem guia da Embrapa com instruções de como cultivar os 50 principais legumes e verduras vendidos no país, tem Guia sobre PANC, Agrofloresta, Compostagem e Saúde do solo, por exemplo.

Já participei por um tempo de uma horta comunitária aqui no interior e sei que não é simples de se organizar, saber o que fazer, e conseguir produzir. E não é só porque a gente é bicho de cidade grande e sabe pouquíssimo de produzir comida de fato. Tem toda a parte da convivência e organização que é um angu de caroço. Tinha gente, por exemplo, que levava lixo de casa pra compostar nessa horta e jogava ele por cima das plantas. Sei que parece muito sem noção (e é, faz mal cheiro, atraia bichos) mas pra quem fazia estava “ajudando”. Explicar isso sem que a pessoa não se sinta ofendida e aprenda um outro jeito é um desafio. O guia fala também desse desafio de convivência. É importante não ter uma visão romântica das hortas. É legal sim, é uma experiência muito gratificante e diferente da nossa alienação da produção de comida mas também tem suas dificuldades. Contar com material de qualidade pra auxiliar que a gente possa fazer crescer essas iniciativas é essencial pra mudarmos a forma como nos relacionamos com o entorno da gente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s