Quanto vale o que não pode ser medido em cifrões?

Eu estou tentando processar o tamanho dessa perda. Eu tenho um vizinho que está construindo uma obra de 3 andares irregular colada ao meu muro. Na última segunda, ele fez uma laje usando concreto usinado e a minha horta, que ficava junto a esse muro, foi completamente destruída. Além de todas as plantas e frutas se preparando pra primavera perdidas – há concreto respingado há mais de 5m de distância – também foi perdido o trabalho de 1 ano e meio de recuperação desse solo que agora está poluído e degradado. E pior, ainda há a perda do direito ao uso que faço do meu próprio quintal – como plantar qualquer outra coisa enquanto essa obra segue? Como frequentar o espaço que agora deixou de ter privacidade e no qual sou alvo da zombaria dos pedreiros e proprietários por conta da minha reclamação pelo dano?

O repolho roxo que eu vinha mostrando no instagram desde pequeno, agora completamente destruído por concreto e negligência

O que há pra ser feito está sendo feito. Fiz uma denúncia junto a prefeitura pois não há tapumes ou nenhum tipo de proteção para o meu quintal nessa obra. Também já conversei com alguns advogados pois existem outras irregularidades pralém da negligência cabendo a discussão de embargo. Mas o dano que já foi feito parece ser delicado de se medir.

Apesar desse espaço ser instrumento do meu trabalho – havia plantas ali que eu estava usando nas testagens de chá, com intenção de comercialização junto com um livro que estava desenvolvendo, há plantas ali que estão sendo usadas em experimentações de impressão botânica mista com bordados e que também tinha intenção de transformar em algo comercializável, havia ainda a minha comida e uma parte considerável de material que alimenta minha redes sociais, que são o que me permitem conseguir uma diversidade de trabalhos; esse quintal também são daonde vem parte das imagens e dos textos que publico, é parte do que inspira meu livro que está em processo de publicação, e de outras produções culturais de que participo – mas é muito difícil mensurar o que vale tudo isso. Livro, produção cultural, arte, tudo isso são coisas que nossa sociedade não percebe valores claros.

Concreto sobre as folhas de tudo o que estava plantado – e obviamente também em cima do solo

Esse tem sido o aspecto mais duro de se lidar. Quis compartilhar essa questão pessoal pq sei que não sou a primeira, nem serei a última. Isso é uma fração minúscula de coisas que estamos todos vivendo. Nós estamos no meio de uma pandemia na qual o que mais salta aos olhos é o menosprezo e o pouco valor que se dá à vida das pessoas. Nós temos um governo genocida eleito, que além do desprezo pelo povo, também não vê valor em florestas, rios, mares, só em dinheiro. Nós temos o poder público mandando tacar fogo em acampamentos produtivos com lavouras agroecológicas. Nós temos livros sendo transformados em coisas ainda mais inacessíveis. E é isso que dói, saber que o desprezo por qualquer coisa que não possa ser medido em cifrões grandes não vale nada, não merecem dignidade, não tem direito ou a quem recorrer. E isso acontece nas grandes e nas pequenas escalas.

Eu me pergunto todos os dias o que é que vai dar conta de fazer a gente questionar o que é que tem valor, e o meu trabalho inteiro é dedicado a fazer esse questionamento com amorosidade. Mas ao ter nessa situação o valor do meu trabalho questionado, eu me pergunto se será mesmo que tem alguma coisa que pode fazer essa mudança.